06
Out 09

Entrar naquele local foi bastante diferente de um dia de trabalho no Merlotte’s. Por mais que me esforçasse não havia pensamentos distintos a picarem-me a cabeça como uma colmeia de abelhas zangadas, apenas ligeiras e aliviantes correntes de ar. Os vampiros, alguns até bastante atraentes – quer dizer não tanto como Bill ou Eric (e bolas tinha de deixar de pensar em Eric naqueles termos) – olhavam-me com curiosidade. Um matulão negro chegou mesmo a lamber os lábios e a soltar os caninos. Atravessei a sala apinhada e fui-me esquivando dos vampiros que se encontravam em pé, não querendo chamar ainda mais atenções sobre mim.

Nem todas as Margaritas que tivesse tomado me podiam preparar para a cena com a qual me deparei de seguida. Bill estava com uma mulher – não reparei se era vampira ou não, e sinceramente estava-me a borrifar para o que fosse – de pernas abertas em cima dele. Dei meia volta com lágrimas de raiva já a fazerem a sua visita habitual. Mas não fui a tempo, ele já me tinha visto.

Atravessou a sala na sua rapidez sobrenatural até mim e agarrou-me por um braço.

- Sookie… - Disse na sua voz profunda.

- Larga-me Bill! Gritei afastando o meu braço dele.

Os colegas de Bill pareciam divertidos com toda a situação, pois ouviam-se gargalhadas aqui e ali.

Saí porta fora a correr e uns pneus chiaram no asfalto. Um vistoso carro que custaria mais que dez anos do meu ordenado no Merlotte’s parou à minha frente com a porta aberta. Eric disse-me lá de dentro:

- Entra.

Não pensei duas vezes, corri para dentro do carro e fechei a porta. Vi Bill com um ar furioso e de caninos de fora a ficar cada vez mais longe. Claro que ele não teve coragem de nos seguir, ele não ia fazer isso ao seu chefe, seria uma falta de respeito.

- Eric Northman, eu disse-te para não me seguires! – Disse-lhe zangada, apesar de no fundo estar aliviada por me ter tirado daquele antro que dava pelo nome de Clube de Sangue. Cá para mim estava mais para Clube da Galdeirice do que outra coisa!

- E eu avisei-te para não vires, Sookie Stackhouse!

Cruzei os braços derrotada. Sim era verdade, ele tinha-me dito para não vir.

- E agora que já tens a certeza de que o que eu te disse está certo não queres pensar novamente na minha proposta?

Senti o meu sangue a gelar. Eric parou o carro com uma travagem brusca à berma de uma estrada ladeada de frondosas árvores que na escuridão da noite pareciam gigantes a abanar os seus tentáculos ao sabor das ondas do vento. Fiz de tudo para não pensar naquilo novamente, mas a verdade era que a ideia batia-me à porta do cérebro, uma e outra vez.

- Eu disse-te que o Bill não era quem pensavas… - Eric posou a sua mão delicada sobre a minha perna nua e os pelinhos daquela zona (a qual eu também deveria ter depilado, bolas!) arrepiaram-se instantaneamente. – Ao contrário de mim que sou um livro aberto Sookie e já te disse exactamente o que quero de ti…

A sua mão continuou a penetrar em áreas recônditas do meu corpo que eu ainda só tinha mostrado a Bill. Não fiz nada para ele parar, na realidade até gostei. Bill merecia, depois de me ter posto os palitos com a primeira ordinária que encontrou na sua ausência de Bom Temps. Ao menos eu não estava a trai-lo com qualquer um, era Eric, o seu chefe e xerife-vampiro. O que ele podia fazer em relação a isso? Absolutamente nada!

Eric saiu do seu lugar de condutor e pôs-se sobre mim, o seu corpo rijo sobre a parcial nudez que o meu vestido curto expunha. Senti-me a tremer violentamente. Eric libertou os seus caninos brilhantes como marfim e aproximou-se perigosamente da minha linha do maxilar.

publicado por sangue-fresco às 09:33

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO