03
Mar 09

Obscuros
 

Vampiros. Entidades mistificadas, associadas ao nocturno, ao obscuro, ao lado mais mórbido da vida. Ou será da morte? Descendentes de Cain e herdeiros de Drácula, consta que se alimentam do sangue dos incautos, que dormem em caixões e que voam pelas sombras da noite como caçadores em busca da sua presa.

Quanto de todas essas lendas contadas ao anoitecer é verdade e quanto é fruto da imaginação? Eu devo saber, já que sou um deles.

Se me permitem, vou começar com uma confissão. Aborrece-me essa ideia de que os vampiros são pérfidos indivíduos de caninos perfurantes e que podem ser eliminados com algo tão simples como uma estaca cravada no coração. Será precisa tão pouca imaginação para acabar com a vida de um imortal? Não creio…

Deixem-me que vos diga. Ser um vampiro é muito diferente do que dizem os velhos mitos. E, contudo, não tão diferente como isso. Temos as nossas semelhanças, é verdade, com o quadro que pintam das nossas pessoas, mas… de uma forma um tanto afastada do que imaginaram os criadores de lendas.

Chamo-me Hayden Bellowes e estou aqui para vos elucidar. Tomem-me por exemplo da raça dos vampiros… Não sou um conde, ou um príncipe. Não tenho, aliás, qualquer espécie de título de nobreza. Isso faz de mim menos vampiro? Será que se querem aproximar o suficiente para descobrir. Não durmo num caixão, mas numa cama confortável e os meus caninos são aparentemente tão normais como os de qualquer humano. Se houver alguém corajoso o suficiente para tentar, até pode arriscar-se a cravar uma estaca no meu coração. Não sei se viverá o suficiente para ver os resultados, mas o facto é que não serei eu a desfazer-me numa nuvem de fogo.

Mitos à parte, caríssimos leitores… A minha espécie não é a monstruosidade que os romancistas inventaram, mas não é isso que nos torna menos perigosos. Aventurem-se a aproximar-se, se quiserem, mas deixem em casa o crucifixo, o alho e a estaca. São completamente inúteis.

 

publicado por sangue-fresco às 11:46

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO